6

Codependência

Última atualização: 24/dez/2023 3:00:24

Featured Image

Table of Contents

A codependência ocorre quando um indivíduo tem uma dependência doentia de seus relacionamentos mais próximos.

Entendendo a codependência

Codependência é um conceito psicológico originalmente criado para descrever relacionamentos caracterizados por dependência emocional ou psicológica excessiva, geralmente envolvendo um parceiro, membro da família ou amigo com uma condição patológica ou vício.

Muitas vezes, isso decorre de uma dinâmica familiar disfuncional e pode levar a comportamentos e padrões prejudiciais à saúde.

Uma pessoa codependente pode se sentir compelida a atender às necessidades dos outros, muitas vezes negligenciando suas próprias necessidades, desejos e bem-estar no processo.

Essa condição não se limita apenas a relacionamentos com usuários de substâncias; ela pode se manifestar em qualquer relacionamento em que haja um desequilíbrio de cuidados, o que leva a comportamentos facilitadores, limites ruins e um apego ou dependência doentios.

A codependência pode prejudicar a saúde mental, o desenvolvimento emocional e a capacidade de manter uma interdependência saudável nos relacionamentos.

Reconhecer e tratar os padrões de codependência desde o início é fundamental para prevenir problemas de saúde mental e cultivar relacionamentos equilibrados e satisfatórios.

Sinais de codependência

Reconhecer a codependência pode ser um desafio, pois seus sinais podem ser sutis. Aqui estão os principais sintomas exibidos com frequência por indivíduos em relacionamentos codependentes:

Baixa autoestima

  • Comparar-se constantemente com os outros e sentir-se inadequado.
  • Lutando contra o perfeccionismo e precisando se sentir melhor.

Agradar às pessoas

  • Fazer o possível para agradar aos outros, mesmo às custas de suas próprias necessidades e bem-estar.
  • Medo de rejeição e de ser excessivamente complacente para evitar desagradar aos outros.

Limites ruins

  • Luta para dizer "não" e se sente responsável pelos sentimentos, pensamentos, ações, escolhas e bem-estar de outras pessoas.
  • Ultrapassar os limites para se sentir necessário ou para evitar o abandono.

Dependência

  • Depender muito dos outros para ter um senso de valor e validação.
  • Sensação de ansiedade, inquietação ou descontentamento quando está sozinho.

Preocupação obsessiva com os outros

  • Concentrar-se nos problemas e necessidades de outras pessoas e negligenciar os próprios.
  • Oferecer conselhos, orientações e ajuda não solicitados.

Problemas de controle

  • Acreditar que os outros são incapazes de cuidar de si mesmos.
  • Tentativa de consertar, gerenciar e controlar pessoas e situações, mesmo quando injustificado.

Negação

  • Ignorar ou minimizar os sentimentos, as necessidades e as experiências de uma pessoa.
  • Viver em negação sobre a gravidade dos problemas próprios ou de um ente querido.

Esses sintomas, muitas vezes inter-relacionados, criam dependência no relacionamento, reforçam comportamentos codependentes e podem prejudicar significativamente a saúde mental e o bem-estar emocional das pessoas envolvidas.

Causas da codependência

Dinâmica familiar disfuncional

Os relacionamentos disfuncionais na família geralmente estabelecem a base para o desenvolvimento da codependência.

Nessas famílias, as crianças podem crescer em ambientes marcados por inconsistência, abuso, negligência ou indisponibilidade emocional de pais codependentes.

Essas experiências adversas na infância podem prejudicar o desenvolvimento emocional normal, levando a uma necessidade perpétua de agradar ou salvar os outros na idade adulta.

Esses indivíduos geralmente têm dificuldade em estabelecer limites e podem sentir um medo intenso de abandono, o que alimenta seus comportamentos codependentes.

Transtornos de personalidade

Os transtornos de personalidade, principalmente o transtorno de personalidade dependente e o transtorno de personalidade limítrofe, podem contribuir para o desenvolvimento de relacionamentos codependentes.

Os indivíduos com esses transtornos geralmente temem o abandono e podem apresentar comportamentos de apego e submissão, o que pode levar a tendências codependentes.

Suas próprias necessidades e bem-estar geralmente se tornam secundários, pois eles se concentram excessivamente em atender às necessidades de seus parceiros românticos ou de outros membros da família, desenvolvendo o vício da pessoa dependente em aprovação e aceitação.

Abuso de substâncias

O abuso de substâncias é outro fator significativo que contribui para a codependência.

Quando um membro da família luta contra a dependência química, outros membros da família podem adotar papéis e comportamentos para manter o equilíbrio dentro da unidade familiar. Isso geralmente leva ao desenvolvimento de comportamentos codependentes.

As pessoas em tais ambientes podem ignorar suas próprias necessidades e sentimentos para manter a paz ou para proteger a pessoa viciada das consequências de seus comportamentos.

Eles podem se sentir responsáveis pelo vício do ente querido e desenvolver uma dependência do relacionamento, geralmente decorrente de um desejo profundamente enraizado de se sentirem necessários e valorizados.

Em cada um desses cenários, o desenvolvimento da codependência é geralmente um comportamento aprendido, servindo como um mecanismo de enfrentamento para lidar com a dor, o estresse e o vazio emocional.

Superar a codependência requer um esforço consciente para abordar essas questões subjacentes e mudar padrões de comportamento estabelecidos há muito tempo, permitindo que os indivíduos aumentem a autoestima, estabeleçam limites saudáveis e desenvolvam relacionamentos satisfatórios e mutuamente respeitosos.

Como a codependência afeta os relacionamentos românticos

A codependência pode influenciar fortemente os relacionamentos românticos, muitas vezes tornando-os unilaterais, insatisfatórios e prejudiciais à saúde.

Em relacionamentos codependentes, as pessoas podem perder o senso de si mesmas ao se concentrarem excessivamente nas necessidades, nos sentimentos e nos problemas do parceiro.

O medo de ficar sozinho ou ser abandonado muitas vezes supera o bem-estar da pessoa, levando a um padrão de autossacrifício e à supressão de seus desejos e necessidades.

Esses relacionamentos são caracterizados por um desequilíbrio de poder, com um dos parceiros assumindo o papel de cuidador, enquanto o outro pode se tornar mais dependente e passivo.

Essa dinâmica pode gerar ressentimento e frustração, pois o cuidador se sente desvalorizado e sobrecarregado, e o parceiro dependente se sente sufocado e controlado.

Esse desequilíbrio impede o crescimento e a autonomia de ambos os parceiros, levando à estagnação e à disfunção no relacionamento.

O parceiro codependente também pode ter dificuldades para estabelecer e manter limites saudáveis, permitindo que o comportamento, o humor e as opiniões de seu parceiro o influenciem significativamente.

Elas podem achar difícil expressar suas necessidades, opiniões e desejos, o que leva a uma perda de identidade e a uma sensação de estarem "perdidas" no relacionamento.

Essa falta de independência saudável e de respeito mútuo pode levar a um estresse e insatisfação significativos para ambos os parceiros, tornando o relacionamento insustentável.

Por que os relacionamentos codependentes não são saudáveis

A codependência é inerentemente prejudicial à saúde, pois impede o crescimento emocional e o bem-estar dos indivíduos.

Ele promove uma dependência debilitante da validação e aprovação externas, o que pode levar a uma negligência dos próprios sentimentos, necessidades e bem-estar, o que muitas vezes pode levar a doenças mentais.

Uma pessoa codependente geralmente luta com baixa autoestima, sentindo-se indigna de amor e cuidado, a menos que esteja atendendo às necessidades dos outros.

Essa autonegligência contínua pode levar a problemas de saúde física e mental, como ansiedade, depressão e estresse crônico.

Em um relacionamento codependente, os comportamentos de habilitação e resgate perpetuam padrões prejudiciais à saúde, impedindo que ambos os indivíduos aprendam e cresçam.

O cuidador pode impedir que o parceiro dependente enfrente as consequências naturais de suas ações, prejudicando seu crescimento pessoal e sua capacidade de desenvolver mecanismos de enfrentamento saudáveis.

Esse ciclo de dependência e cuidado cria uma barreira para a verdadeira intimidade, pois ambos os parceiros não conseguem expressar seu verdadeiro eu e suas necessidades de forma aberta e honesta.

Abordar as causas básicas da codependência e mudar esses padrões de comportamento é fundamental para desenvolver a autoestima, melhorar a saúde mental e desenvolver relacionamentos saudáveis, equilibrados e mutuamente satisfatórios.

Como superar a codependência

Superar o comportamento codependente e mudar comportamentos doentios nos relacionamentos envolve reconhecer padrões doentios e comprometer-se a mudá-los. Veja a seguir algumas etapas para iniciar essa jornada.

Procure ajuda profissional

  • O envolvimento em terapia da fala, como a terapia cognitivo-comportamental, pode abordar os problemas subjacentes e fornecer as ferramentas para desenvolver mecanismos de enfrentamento mais saudáveis.
  • Considere a possibilidade de fazer terapia familiar para lidar com a dinâmica familiar disfuncional e melhorar a comunicação.

Eduque-se

  • Aprenda sobre a codependência, suas causas e seus efeitos para entender melhor os padrões e comportamentos.
  • Explore recursos para aumentar a autoestima e estabelecer limites saudáveis.

Desenvolver a autoconsciência

  • Reflita regularmente sobre suas próprias necessidades, sentimentos e desejos.
  • Identificar e desafiar seus pensamentos e comportamentos codependentes.

Estabelecer limites

  • Comunique seus limites e cumpra-os.
  • Aprenda a dizer "não" e a priorizar suas próprias necessidades e bem-estar.

Fomentar a independência

  • Incentive a autonomia e a autossuficiência em seus relacionamentos.
  • Desenvolva hobbies e interesses fora de seus relacionamentos e dedique tempo para cultivá-los.

Cultivar relacionamentos saudáveis

  • Busque relacionamentos que sejam mutuamente respeitosos, equilibrados e solidários.
  • Evite relacionamentos que sejam unilaterais ou que exijam que você reprima suas necessidades e sentimentos.

Pratique o autocuidado

Priorize seu bem-estar mental, emocional e físico. Desenvolva uma rotina que inclua exercícios regulares, uma dieta balanceada, sono adequado e técnicas de relaxamento.

Lembre-se de que a superação da codependência é gradual e exige esforço contínuo, autorreflexão e apoio de entes queridos e profissionais de saúde mental.

Trata-se de reconstruir a autoestima, aprender a valorizar a si mesmo, estabelecer limites saudáveis e promover conexões genuínas com os outros.

As pessoas podem se libertar da codependência e levar uma vida mais satisfatória, equilibrada e alegre e prosperar em relacionamentos futuros.

Perguntas frequentes sobre codependência

Uma pessoa codependente pode construir e manter relacionamentos?

Uma pessoa co-dependente pode aprender a construir relacionamentos saudáveis e equilibrados, mas isso geralmente requer esforço intencional e, possivelmente, intervenção profissional.

Ao abordar as questões subjacentes que levam a comportamentos codependentes, aprender a estabelecer limites saudáveis e concentrar-se no crescimento pessoal e no autocuidado, os indivíduos podem desenvolver as habilidades para manter relacionamentos saudáveis e mutuamente satisfatórios.

Os codependentes podem amar?

Os codependentes são capazes de amar, mas seu amor é muitas vezes ofuscado pela necessidade de serem necessários, o que leva a uma dinâmica de relacionamento não saudável.

O medo do abandono e a baixa autoestima podem fazer com que eles se esforcem demais para manter relacionamentos, confundindo amor com resgate e cuidado.

Ao trabalhar com seus problemas, eles podem experimentar e expressar o amor de forma mais equilibrada e satisfatória.

Como posso saber se tenho tendências codependentes?

Reconhecer a codependência envolve autorreflexão e honestidade sobre seus padrões e comportamentos de relacionamento.

Se você negligencia constantemente suas próprias necessidades para atender às necessidades dos outros, tem dificuldade para estabelecer e manter limites, tem baixa autoestima e apresenta medo ou ansiedade excessivos em relação ao abandono, pode estar lidando com codependência.

Referências

Co-dependência | Saúde Mental nos Estados Unidos

A experiência vivida da codependência - Bacon et al., (2020)

Codependência

O que é preciso saber sobre relacionamentos codependentes?

Uma exploração da experiência de codependência - Bacon, (2015)

Isenção de responsabilidade

O conteúdo deste artigo é fornecido apenas para fins informativos e não se destina a substituir a orientação, o diagnóstico ou o tratamento médico profissional. É sempre recomendável consultar um profissional de saúde qualificado antes de fazer qualquer mudança relacionada à saúde ou se tiver alguma dúvida ou preocupação sobre sua saúde. A Anahana não se responsabiliza por quaisquer erros, omissões ou consequências que possam ocorrer com o uso das informações fornecidas.

Empatia

10 min read

Empatia

Saiba como a prática da empatia pode melhorar os relacionamentos, estimular a compreensão e promover a inteligência emocional. Desvende os segredos...

Consciência

8 min read

Consciência

A vida consciente de uma pessoa é uma compilação de suas experiências do mundo objetivo ao seu redor, filtrada por sentimentos, memórias e...

Limites

7 min read

Limites

Os limites são a base de relacionamentos saudáveis, mas não são fáceis de estabelecer. Saiba mais sobre o que são limites pessoais, os tipos de...

Bombardeio de amor

7 min read

Bombardeio de amor

O bombardeio amoroso é uma tática de controle e manipulação geralmente empregada por parceiros narcisistas para obter afeto e atenção para fins...

Gratidão

9 min read

Gratidão

Desenvolver uma atitude de gratidão pode criar mudanças tremendas em nossas vidas e até mesmo levar a uma melhor saúde mental. Leia este artigo para...

Maturidade emocional

9 min read

Maturidade emocional

A maturidade emocional é vital para o crescimento pessoal, a resiliência e a empatia. Ela envolve a compreensão e a regulação das emoções, a promoção...