8 min read

Síndrome do Impostor

Featured Image

Se uma pessoa estiver experimentando sentimentos infundados de incompetência e dúvida, isso pode ser uma indicação de síndrome do impostor.

É importante entender as várias características, tipos e impactos desse fenômeno para superar esses sentimentos. Ao obter mais conhecimento sobre a síndrome do impostor, as pessoas podem tomar as medidas necessárias para superar essas emoções negativas e ter mais confiança em suas habilidades.

 

O que é a síndrome do impostor?

o que é a síndrome do impostorA síndrome do impostor, também conhecida como impostorismo ou fenômeno do impostor, é uma experiência psicológica caracterizada por sentimentos persistentes de dúvida e inadequação, apesar das realizações e experiências de um indivíduo. As pessoas que sofrem da síndrome do impostor geralmente lutam para duvidar de suas habilidades e minimizar suas realizações, mesmo quando recebem feedback positivo ou reconhecimento de outras pessoas.

A conversa interna negativa, a ansiedade e a inquietação são manifestações comuns da síndrome do impostor, que pode ser difícil de conciliar com os sinais externos de sucesso de um indivíduo. Apesar de sua prevalência, a síndrome do impostor não é um diagnóstico formal ou oficial ou um transtorno de saúde mental no DSM. Pesquisas sugerem que até 70% das pessoas podem ter pelo menos um episódio de síndrome do impostor durante a vida.

 

 

História da síndrome do impostor

O conceito do "fenômeno do impostor" foi introduzido pela primeira vez em 1978 por Pauline Clance e Suzanne Imes em seu artigo intitulado "The Imposter phenomenon in High Achieving women". As autoras definiram os sentimentos de impostor como experiências internas de falsidade intelectual.

Clance e Imes realizaram sua pesquisa com mulheres em ambientes profissionais e de ensino superior (por exemplo, estudantes universitários e de pós-graduação). Eles pesquisaram mais de 100 mulheres, sendo que aproximadamente um terço das mulheres estava em psicoterapia para outras condições e os dois terços restantes eram indivíduos conhecidos dos pesquisadores em seus grupos de terapia.

Apesar de serem formalmente reconhecidas por suas realizações acadêmicas e profissionais, as pesquisas revelaram que essas mulheres não reconheceram seu sucesso internamente. Em vez disso, elas atribuíam suas conquistas a fatores externos, como sorte, e subestimavam suas próprias habilidades.

 

Em última análise, a síndrome do impostor direciona a culpa para os indivíduos, sem considerar os contextos históricos e culturais que contribuem para sua manifestação, principalmente entre as mulheres brancas e negras profissionais.

Essa abordagem muda o foco para a correção das mulheres em vez de abordar os problemas sistêmicos no local de trabalho. Ela patologiza um sentimento comum de desconforto, dúvidas e ansiedade leve no local de trabalho, principalmente para as mulheres, e o rotula erroneamente como uma síndrome do impostor. Sentir-se inseguro não deve ser automaticamente igual a ser um impostor.

 

Causas

As primeiras pesquisas acreditavam que o gênero e a dinâmica familiar contribuíam para a síndrome do impostor. No entanto, as pesquisas mostram que uma combinação de fatores, inclusive o ambiente da infância e a criação dos filhos, novas responsabilidades e oportunidades, traços de personalidade e problemas de saúde mental subjacentes, também podem causar a síndrome do impostor.

 

Ambiente na infância e criação dos filhos

A educação e o ambiente da infância de um indivíduo podem desempenhar um papel significativo no desenvolvimento da síndrome do impostor. Os estilos dos pais estão entre os fatores que podem afetar esse fenômeno. Por exemplo, pais que são superprotetores ou controladores, que pressionam os filhos a se destacarem academicamente, que os comparam com os outros ou que criticam duramente seus erros podem influenciar o desenvolvimento da síndrome do impostor em seus filhos.

As crianças que vêm de famílias que valorizam muito o desempenho e o sucesso acadêmico ou que recebem muitas críticas por seu comportamento podem estar acostumadas a receber elogios constantes nos primeiros anos de educação. No entanto, quando têm dificuldades durante os anos de universidade ou faculdade, podem desenvolver sentimentos de inadequação e acreditar que os outros são mais competentes do que elas.

As pesquisas indicam que as crianças que crescem em um ambiente caracterizado por alto conflito entre os pais e apoio reduzido têm maior probabilidade de sofrer da síndrome do impostor. Consequentemente, a dinâmica familiar inicial é crucial para determinar a probabilidade de um indivíduo apresentar a síndrome do impostor mais tarde na vida.

 

Novas oportunidades e responsabilidades

Não é incomum que os indivíduos tenham sentimentos de impostor ou se sintam indignos quando assumem novas responsabilidades e oportunidades acadêmicas ou pessoais. Os indivíduos precisam estar cientes de que podem atender às expectativas ou duvidar que suas habilidades sejam compatíveis com as de outras pessoas na função.

A síndrome do impostor é comum quando as pessoas tentam coisas novas ou passam por transições. A incerteza, a falta de experiência e a pressão para ter sucesso podem desencadear sentimentos de impostor. Eventualmente, os sentimentos podem desaparecer à medida que as pessoas se familiarizam mais com a função. Ainda assim, as emoções podem se agravar para algumas pessoas, especialmente se elas não receberem validação, incentivo ou apoio de seus colegas ou supervisores.

 

Traços de personalidade

As pesquisas sugerem que determinados traços de personalidade estão ligados a sentimentos de impostor e aumentam a probabilidade de sofrer a síndrome do impostor. Indivíduos com determinados traços ou características, como baixa autoeficácia (falta de confiança em suas habilidades para ter sucesso em várias situações) e tendências perfeccionistas (que podem dificultar a busca de ajuda ou a procrastinação), são mais propensos a ter sentimentos de impostor.

Além disso, os indivíduos com pontuação mais baixa em conscienciosidade, uma das cinco grandes dimensões da personalidade, e mais alta em neuroticismo (associada a níveis mais altos de culpa, tensão, insegurança e ansiedade) também podem ter um risco maior de sofrer a síndrome do impostor.

 

Condições de saúde mental coexistentes

A síndrome do impostor também pode se cruzar com vários problemas de saúde mental. As pessoas que têm medo de fracassar podem sentir angústia emocional, depressão e ansiedade. No entanto, a ansiedade e a depressão podem significar que os indivíduos já estão preocupados, com dúvidas sobre si mesmos e com baixa autoestima.

A síndrome do impostor pode exacerbar outros problemas de saúde mental, criando um ciclo vicioso que pode ser difícil de ser interrompido. Entretanto, os sintomas da síndrome do impostor podem se sobrepor ao transtorno de ansiedade social. Os indivíduos com transtorno de ansiedade social também podem sentir que não pertencem a situações sociais e temem que os outros descubram sua incompetência. Os sintomas de ansiedade social também podem contribuir para a síndrome do impostor. Entretanto, essas condições não precisam necessariamente coexistir.

 

Viés sistêmico

A síndrome do impostor também pode ser perpetuada pela falta de representação de indivíduos de comunidades marginalizadas em posições de poder ou de grandes realizações. Essa falta de representação pode levar a sentimentos de isolamento e inadequação em indivíduos de comunidades pouco representadas. Além disso, os estereótipos culturais também podem reforçar a síndrome do impostor em pessoas de determinadas origens.

É essencial abordar e reconhecer o racismo sistêmico e o preconceito de gênero para combater a síndrome do impostor de forma eficaz. Os indivíduos de comunidades sub-representadas devem ter oportunidades de sucesso e receber apoio em suas realizações. A abordagem do preconceito sistêmico e a promoção da diversidade e da inclusão podem ajudar a reduzir os sentimentos de impostor nos grupos marginalizados.

 

Tipos de síndrome do impostor

tipos de síndrome do impostorHá cinco tipos básicos de síndrome do impostor, que incluem o gênio natural, o especialista, o perfeccionista, o solista e a superpessoa.

 

O gênio natural

No tipo de síndrome do impostor do "gênio natural", é comum que as pessoas se sintam inadequadas em relação às suas próprias competências e habilidades. Elas podem acreditar que, se não obtiverem sucesso ou domínio de uma habilidade em sua primeira tentativa, não são naturalmente competentes.

As pessoas que sempre se destacaram sem fazer muito esforço podem ser particularmente suscetíveis a esse tipo de síndrome do impostor, pois podem se sentir fracassadas se encontrarem um desafio que não conseguem superar facilmente. Além disso, a expectativa de que indivíduos competentes sejam capazes de ter sucesso sem esforço em sua primeira tentativa pode exacerbar os sentimentos de fraude.

 

O especialista

Nesse tipo de síndrome do impostor, os indivíduos acham que precisam ter conhecimento completo e domínio de um determinado tópico ou assunto antes de se considerarem bem-sucedidos. Eles investem uma quantidade significativa de tempo na pesquisa e no aprendizado de novas informações para garantir que estejam preparados para concluir as tarefas.

Ainda assim, quando se deparam com uma situação em que sentem que não têm todas as respostas ou encontram um conhecimento que não obtiveram, eles se veem como um fracasso ou uma fraude. Elas acreditam que não alcançaram a posição de "especialista" porque não dominaram todas as etapas do processo.

 

O perfeccionista

As pessoas que apresentam tendências perfeccionistas têm fixação em alcançar o sucesso e exigem perfeição em todos os aspectos de suas vidas. Entretanto, ao estabelecerem metas irreais para si mesmos, muitas vezes não conseguem atingir os altos padrões que estabelecem.

Esses indivíduos se concentram em atingir a perfeição em vez de reconhecer seus esforços na conclusão de tarefas, o que os leva a se criticar por quaisquer erros cometidos, criando sentimentos de dúvida e fracasso. Além disso, os indivíduos podem ficar com muito medo de assumir novas tarefas ou experiências, pois sentem que precisam atender aos padrões do perfeccionismo.

 

O solista

As pessoas com síndrome do impostor solista acreditam que devem ser capazes de alcançar o sucesso de forma independente e sem a ajuda de outras pessoas. Eles costumam duvidar de si mesmos e questionar suas habilidades e competência se precisarem da ajuda de outras pessoas ou se precisarem aceitar o apoio quando oferecido.

Esses indivíduos podem ver o pedido de ajuda como um sinal de fraqueza e acreditar que devem ser capazes de lidar com tudo sozinhos, levando a sentimentos de inadequação e impostorismo se não conseguirem.

 

A superpessoa

Os indivíduos com esse tipo de síndrome do impostor têm grandes expectativas em relação a si mesmos e acreditam que devem se destacar em todos os aspectos de suas vidas. Eles associam sua competência à capacidade de ter sucesso em todas as funções que desempenham, seja como amigo ou aluno, pai ou funcionário.

Esses indivíduos acreditam que precisam atender às demandas de suas funções alcançando os mais altos níveis de sucesso e, se não o fizerem, se sentirão como uma fraude ou inadequados. Apesar de se esforçarem ao máximo em suas funções, esses indivíduos não conseguem resolver seus sentimentos de impostor, o que pode levar ao estresse e à ansiedade crônicos.

 

Superando a síndrome do impostor

Para superar a síndrome do impostor, os indivíduos precisam confrontar suas crenças e mudar a mentalidade e os processos internos de pensamento. As estratégias para superar a síndrome do impostor incluem:

 

Reconhecendo os sentimentos

Para superar a síndrome do impostor, é importante que as pessoas reconheçam suas realizações e conhecimentos e lembrem-se de como conquistaram seu lugar no ambiente acadêmico ou profissional. Discutir seus sentimentos com amigos de confiança, familiares ou outras pessoas, pois isso pode ajudar os indivíduos a se sentirem menos angustiados e sobrecarregados, além de permitir que outras pessoas validem seus sentimentos.

 

Evitando a comparação

Para superar a síndrome do impostor, as pessoas precisam questionar seus pensamentos e desafiar suas crenças. Isso envolve examinar as evidências e reconhecer quando estão fazendo suposições ou interpretando os eventos de forma negativa.

Além disso, os indivíduos devem avaliar suas habilidades de forma realista, aceitando suas limitações e reconhecendo as áreas em que podem melhorar. O desenvolvimento de uma mentalidade de crescimento, com foco no aprendizado e no progresso, em vez de apenas nas conquistas, pode ajudar as pessoas a superar a síndrome do impostor.

 

Desafiando crenças e dúvidas

Para superar a síndrome do impostor, os indivíduos precisam avaliar suas crenças de forma crítica. Recomenda-se que se perguntem se suas crenças são apoiadas por fatos e evidências e procurem contraprovas. Ao avaliar suas habilidades de forma realista, os indivíduos podem desafiar suas dúvidas e crenças sobre sua incapacidade e incompetência.

Uma técnica eficaz é anotar suas realizações e o que eles acham que são seus pontos fortes e, em seguida, compará-los com seus pensamentos. Esse exercício pode ajudar as pessoas a avaliarem suas habilidades de forma realista e a reconhecerem suas conquistas, aumentando a confiança e a autoestima.

Para superar a síndrome do impostor, as pessoas devem aprender a valorizar a crítica construtiva, entender que não pedir ajuda pode atrasar a equipe e reconhecer que a prática de uma habilidade melhorará suas capacidades com o tempo. Essas estratégias podem ajudar as pessoas a desenvolver a autoconfiança, desafiar pensamentos negativos e superar sentimentos de inadequação. Ao praticar essas habilidades, os indivíduos podem trabalhar para atingir suas metas sem sucumbir à síndrome do impostor.

 

Construindo conexões

Para superar a síndrome do impostor, os indivíduos devem aprender a se recompensar por seus esforços e a buscar ajuda de colegas, companheiros e colegas de classe quando necessário. O estabelecimento de conexões pode proporcionar orientação, apoio e validação dos pontos fortes de uma pessoa.

Também é útil se concentrar em outras pessoas que estejam experimentando sentimentos de impostor e compartilhar emoções para criar um ambiente de apoio. Compartilhar estratégias para superar desafios também pode ser benéfico.

 

O que levar

Superar a síndrome do impostor pode ser um desafio significativo para as pessoas, e é fundamental entender como é vivenciar a síndrome do impostor e como lidar com ela.

É importante reconhecer que o sucesso não é sinônimo de perfeição e que o fracasso é uma parte natural da vida. As pessoas que sofrem da síndrome do impostor devem demonstrar compaixão por si mesmas, em vez de dúvida e julgamento, para avaliar suas habilidades de forma realista e incentivar o autocrescimento saudável.

Reconhecer as realizações e refletir sobre elas também pode ajudar a superar os sentimentos de impostor. As pessoas que sofrem da síndrome do impostor tendem a atribuir seu sucesso a fatores externos, e a prática da gratidão pode ajudar a mudar essa mentalidade.

É essencial confrontar e não reprimir os sentimentos de ser um impostor. Buscar o apoio de um terapeuta pode ser útil para lidar com a síndrome do impostor, desafiar e reformular crenças e gerenciar o sofrimento emocional, a indignidade, a depressão e a ansiedade.

Mais pesquisas sobre os sentimentos de impostor entre os indivíduos, principalmente entre as mulheres não brancas, e a promoção de culturas acadêmicas e de local de trabalho inclusivas que promovam o antirracismo podem ajudar a reduzir a síndrome do impostor.

Referências

Clance PR, et al. (1978). The imposter phenomenon in high achieving women: Dynamics and therapeutic intervention. psycnet.apa.org/record/1979-26502-001

Síndrome do Impostor: O que é e como superá-la

Sente-se como uma fraude?

Síndrome do Impostor: Por que você pode se sentir uma fraude

Ansiedade

12 min read

Ansiedade

Ansiedade é o termo geral usado para descrever uma variedade de transtornos de ansiedade. Esses transtornos são predominantes na população em geral...

Sincronicidade

9 min read

Sincronicidade

Saiba mais sobre os padrões de pensamento humano e o conceito de sincronicidade. Compreender a experiência da sincronicidade e como interpretar as...

Bem-estar

13 min read

Bem-estar

O bem-estar é um conceito multidimensional que abrange uma infinidade de fatores interconectados. É amplamente reconhecido como o estado ideal de...

Compaixão

9 min read

Compaixão

A maioria das pessoas o descreve como "colocar-se no lugar de outra pessoa". É uma ação e uma emoção que aproxima os seres humanos uns dos outros e...

Catastrofização

9 min read

Catastrofização

Aprenda sobre o conceito de catastrofização, as causas subjacentes, os sinais e sintomas do pensamento catastrófico e várias técnicas que podem ser...

Burnout

11 min read

Burnout

Burnout é a sensação de estar constantemente estressado e o atraso provavelmente se deve à experiência de burnout. O esgotamento pode levar a muitos...